6 de nov. de 2013

The Walking Dead | 4x03 • Isolation - 4x04 • Indifference
Bárbara Herdy6 de nov. de 2013



Por que e/ou quem que você arriscaria?



Isolation

Depois de dois episódios com apresentações de enredo estáveis, agitados e com finais surtantes o suficiente para o telespectador saber o que irá suceder, Isolation tem um ritmo contido, sendo um episódio de envolvimento, poucas soluções e antecipações. 

A história foi dividida em três blocos – novamente – o pessoal isolado aka Abandonados no relento de la Muerte, o pessoal que tem sorte no meio do caos e Daryl e sua equipe da salvação em busca do milagre.
Confesso que foi um parto ver esse episódio, por dois motivos: o 1º estou sem saco para ver séries nessa última semana e 2º quando assisti esse episódio pela primeira vez dormi na metade e fiquei com preguiça de assistir o resto. Só terminei porque minha mãe falou que valia a pena e a continuação deve sair hoje.

No primeiro bloco vemos os isolados sendo colocados sob quarentena, mais da metade do elenco de apoio se encontra lá, o que não é algo muito bom para os principais, pois se essa misteriosa doença levar o elenco de apoio o elenco principal corre grande risco de diminuir. Ops, na realidade, já está acontecendo, não é? Achei ofensivo colocarem o Glen nessa situação, ele é um personagem importante para a história, sempre foi a base e ombro amigo de Rick, mas ele perdeu essa posição para Daryl por motivos de ter se encontrado em Maggie. Isso foi para melhor, porque o nosso asiático favorito ganhou mais destaque na trama, mas confesso que sinto falta de vê-lo tendo e dando conselhos ao nosso líder nato. Sasha também está nessa situação o que me decepcionou novamente, pois eu estava adorando a força e adição que ela estava a dar a equipe, Rick e o grupo não poderia perdê-la agora.
Nem Tyresse.

Ele que se encontra no segundo e terceiro bloco da trama desse episódio, está sofrendo com a perda da Mama McCall aka Karen, acabou por ter uma leve surtada mental, o que é esperado da parte de qualquer pessoa que perde um ente querido, gostei de ver Daryl e Rick o contendo, ignorei a existência de Carol, é natural da minha parte, pois a mesma só serve para chorar, gritar, fazer comida ou besteira, sobre isso falarei mais a frente.
Enfim, Tyresse está tendo que passar por suas próprias provações superar a perda de Karen e o provável falecimento de Sasha, com isso ele tem dois caminhos a seguir: sofrer ou seguir e fazer algo.Esse foi outro diferencial do episódio. Essas duas mortes foram necessárias para que Rick e os outros precisassem fazer algo em relação a esse novo vírus. Com o pensamento de que é uma gripe, Daryl e o grupo da salvação com a participação de Michone diva, o rapaz alcoólatra que não morreu mais deve morrer e de Ty, o macho man. Quem viu o episódio, vai entender, eu surtei vendo os minutos finais de Ty, eu acreditei que ele tinha partido dessa para melhor, mas quando ele brota todo poderoso, na minha cabeça, ao som de Skyfall com explosões ao fundo, eu pensei: esse cara manda.
Essa parte do episódio não foi fechado por motivos óbvios. Uma das melhores cenas de ação da temporada até o momento tinha que ser contida até o próximo episódio para nos fazer arrancar mais cabelos por esses personagens. Sério, Daryl quando saí da prisão só se ferra, Michone se ferra naturalmente e ela nem liga porque né, ela é a Michone, quanto ao resto, eu se fosse eles esperaria pela morte, são secundários, logo a morte está mais perto deles do que de qualquer um. Quando vi aquela imensidão de zumbis eu pensei: Ferrou! O carro atolou eu pensei? É, agora ta ruim mesmo. Eles tem um forte motivo para estar indo para aquela direção, enfrentar aquelas dezenas de centenas de zumbi terá que ser mais que uma missão, mais uma obrigação a esse grupo. E temos um novo elemento: a chamada escutada na radio. Será que esse lugar realmente existe? Não é a primeira vez que o grupo escuta sobre um lugar a parte do mundo para sobreviventes. Pois é, não espero coisas boas disso, e sim conflitos. Melhor: espero o governador por trás disso, isso sim.
Retornado ao segundo bloco do episódio, vemos como a quarentena está afetando os personagens a ‘salvo’ tendo que ficar afastados dos entes queridos e aqui destaco a frase de Hershey que simplesmente descreveu um ponto de vista que expôs aqui na primeira resenha. Se eles não arriscarem pelo que vale a pena, então pelo que irão arriscar? Quando bebem água, saem da prisão ou até mesmo respiram, eles estão se arriscando. O ato dele de querer ajudar os contaminados foi algo digno, o que é esperado de Hershey, mas as suas palavras foram determinantes, principalmente para Rick, ele precisava ouvir isso, ele precisava reconquistar a esperança que a cada novo episódio ele está a perder. A coisa está ruim e pode piorar, nunca esqueceremos isso, mas se o elemento ‘arriscar’ pode não haver amanhã. Outra frase forte e auto explicativa vinda de Carol, mas eu como sempre, a ignorei ainda mais da descoberta do fim de episódio. Irei explorar isso melhor na resenha a seguir, mas apenas adianto que não esperava ela ser ‘a’ pessoa, mas não me surpreendi, sempre a considerei um elemento perturbador.  Impulsiva, cega com seus pensamentos, se esquece que vivem em grupo e não sozinha, não é a toa que ela não conseguia controlar a própria filha. Sei, cruel da minha parte, mas é uma verdade. Só quero ver como Rick, Daryl e o resto do ‘conselho’ vai reagir a isso.

Mais um problema por vez, certo?     





   


"Eu, nem a Bárbara, nem ninguém com dois neurônios iria querer você como colega de turminha."

Indifference


Errado.
O que o episódio antecessor teve de impactante, lento e de envolvimento, o 4º episódio dessa temporada teve de conseqüência, lerdeza e situações óbvias. 

O pessoal da prisão ficou de lado nesse episódio, sinceramente, um dos poucos acertos desse episódio, pois nada mais podia ser explorado naquele grupo, além de Gleen e Sasha. Já sabemos que eles estão maus, sabemos que podem morrer e voltar como o zumbi da baba negra a qualquer instante, então para que ficar batendo na mesma tecla? Comoção? Não vai funcionar.

Então vamos nos focar nos únicos dois motivos bons desse episódio: Daryl e Rick. Sempre.
Por sorte, eles dividiram a tela em dois assuntos completamente diferentes. Daryl com sua equipe de salvadores da pátria, conseguindo buscar os remédios para os doentes da prisão, durante tal percurso, ele encontra uma pedra Jasper, tem que dá uma dura no Bob Esponja Alcoólatra, já Michonne, a diva, tenta conter a raiva de Tyresse, quando ela mesma tem muitos problemas com isso. Achei completamente desnecessário as tentativas bem falhas de Ty de se matar, na boa, o amor dele por Karen era tão grande assim, a ponto de nem se quer tentar lutar por Sasha? Por isso digo, ou você tem os colhões do Daryl e Rick ou você não sobrevive nesse mundo apocalíptico, porque na primeira facada nas costas, a pessoa já se rende pedindo para ser devorado por zumbis. Na boa, corta os pulsos – na vertical, dica do Tate Langdon – que vai mais rápido ...

Vamos a parte boa do episódio.
Rick e Carol.
Só eu que não tenho a menor paciência e carinho pela Carol? O que ela tem de útil, se torna em inútil quando abre a boca? Fiquei com dó dela quando perdeu a Sofia, pelo tratamento que ela sofria do marido, mas na boa, volto a repetir, Rick passou por muito pior, quase enlouqueceu, e está tentando encontrar a trilha certa. Acho que a decisão dele foi a certa. Amei o dialogo dele com Carol ao fim do episódio, direto, digno de um Líder. Como sempre, Rick pensa em tudo, dá para notar, que desde o principio ele já desejava aquele momento a sós com Carol, foi tudo um pretexto para conseguir saber o que deveria ser feito de acordo com as atitudes e respostas de Carol. Eu reclamei: Esse homem podendo sair com a Maggie ou até mesmo com o Tio ‘Hershey’ prefere sair com ela? Pois é, tudo tinha um motivo.
Um motivo que só descobrimos ao fim do episódio.
Não fiquei triste, pois ela mereceu, ainda mais com os argumentos fracos e sem arrependimento.
Dizer que o que ela fez está no mesmo patamar do que Rick fez com Sofia e Shane é o mesmo que falar que queijo minas e ricota tem o mesmo gosto. Não, não tem. Podem ser considerados da mesma categoria, mas são completamente diferentes. Rick matou DOIS zumbis. Quando aquela manada saiu do celeiro do ‘Hershey’ e todos atiram para se defender, não foi errado, agora quando o Rick matou Sofia e Shane, foi?
Carol está com a mente distorcida e só vendo o que quer.
Senti muito pela perda dela, mas só agora ela está tendo esse tipo de atitude? Depois de uma temporada? Sério?
Culpar o Rick por fazer aquilo que ninguém teve coragem de fazer?
O argumento de Carol é: eu fiz o que ninguém pode, pois eles estavam condenados: tinham a doença, iam se transformar e nos matar.
Oi?
Iam se transformar, é uma possibilidade, não um fato.
E se não transformassem? E se essa doença não fosse o motivo para esse novo ‘virus’? Ela não pensou nisso, quer dizer, simplesmente pegou a faca e enfiou no pulmão dos dois, ainda humanos, e os queimou com a desculpa que os estava protegendo?  A sangue frio? Rick tomou a decisão certa. Eu no lugar dele, teria deixado ela voltar para levar uns socos do Tyresse, mas ai eu estaria sendo como o Governador e se tem algo que o Rick não é, é aquele homem. Ele deu uma chance a Carol, pois ele sabe que lá não existe mais lugar para ela, ninguém confiará mais nela, muito menos ele.
Querem que ele tenha essa posição de líder  Então, ele terá. Ainda mais, ele é o único com a coragem suficiente para isso.
No próximo episódio, espero muito drama. Tenho a leve sensação que Daryl não vai aceitar bem a decisão de Rick, o que vai me deixar bem furiosa e que Tyresse vai querer fazer o Rambo e ir atrás de vingança, mas né ... Vamos esperar e torcer para sermos surpreendidos.


Bárbara Herdy Escritora, publicada no site da Amazon/Kobo, professora, poliglota, Companion, Slytherin, Hobbit, Targaryen, Ms.Holmes e é casada com Mr.Darcy. Bang, that's me, mates. Me siga no twitter @MsBarbieHerdy